Jane Eyre (2011)

[Rochester: Sometimes I have the strangest feeling about you. Especially when you are near me as you are now. It feels as though I had a string tied here under my left rib where my heart is, tightly knotted to you in a similar fashion. And when you go to Ireland, with all that distance between us, I am afraid that this cord will be snapped, and I shall bleed inwardly.]

Quem já leu o livro de Charlotte Brontë  deve encontrar inúmeros motivos para reclamar do mais recente filme do jovem realizador Cary Fukunaga . Em duas horas deverá ter sido impossível condensar todas as emoções deste romance. Não li, nem vi as adaptações mais antigas, como a da BBC, por exemplo. Talvez por isso, não me ocorram muitos defeitos a apontar. Apetece-me antes bater palmas a Mia Wasikowska (Jane Eyre), pela naturalidade com que consegue transmitir as mais estranhas emoções, ao director de fotografia, o brasileiro Adriano Goldman e, claro, a Dario Marianelli, compositor, pelo brilhantismo discreto de sempre.

Anúncios

2 comentários

Filed under Cinema

2 responses to “Jane Eyre (2011)

  1. Rebeca

    Onde você conseguiu ver o filme ?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s