Birdman: Or (The Unexpected Virtue of Ignorance) (2014)

Edward-Norton-Shiner-Jacket-from-Birdman-image-4-720x400

Mike Shiner: Popularity is the slutty little cousin of prestige.

Deixe o seu comentário

Filed under Uncategorized

Ir a jogo

Estava a ler um livro de Miguel Sousa Tavares quando dei por mim a pensar por que raio é que suspendi o meu blog. Em “Não Se Encontra o Que Se Procura”, Sousa Tavares diz a páginas tantas que nada na vida é a feijões. Uma máxima que, de resto, costuma repetir em entrevistas e noutros livros. Diz que só quem não vai a jogo é que não arrisca nada.  E é bem verdade. Por que raio se há de jogar sempre pelo seguro? Por que raio preferir não escrever nm blog só porque não se quer arriscar uma exposição ao ridículo? Há alguém para julgar? É verdade que não são feijões aquilo que apostamos quando decidimos fazer o que quer que seja em público. Partilhar o que está na nossa cabeça, real ou imaginado. Mas se não arriscarmos nunca vamos a jogo. E para que serve saber juntar letras e palavras se não para ir a jogo?

Deixe o seu comentário

Filed under Uncategorized

A Gaiola Dourada (2013)

Já muito se tinha dito e escrito sobre A Gaiola Dourada quando na semana passada entrei na sala de cinema. Depois de tantos elogios desconfiei um bocadinho, confesso. Tive medo que as expectativas acabassem por não ser correspondidas. Enganei-me. Esperava rir, ri-me. Esperava chorar, chorei. Rita Blanco dispensa elogios e Ruben Alves merece cada aplauso. As gargalhadas que a personagem de Maria Viera consegue arrancar também são difíceis de esquecer. O fado de Amália, interpretado por Catarina Wallenstein, não podia ter sido melhor escolha.

A Gaiola Dourada é um filme que retrata bem a vida dura de muitos emigrantes portugueses sem ridicularizar ou ofender. Um filme que retrata a saudade, o sacrifício, a lealdade e que, em tempos como estes, tem algo de agri-doce. O doce de tudo o que Portugal tem de bom e o amargo da distância que se impôs a quem não teve outra hipótese senão partir.

1 Comentário

Filed under Cinema

Fiona is back

I’m a hot knife- if I’m a hot knife-
I’m a hot knife if he’s a pad of butter.
If I get a chance, I’m gonna show him that
He’s never gonna need- never need another.

Deixe o seu comentário

Filed under Uncategorized

To a Stranger

SG9wcGVy_233860_6660_1
Passing stranger! you do not know how longingly I look upon you,You must be he I was seeking, or she I was seeking, (it comes to me as of a dream,)I have somewhere surely lived a life of joy with you,

All is recall’d as we flit by each other, fluid, affectionate, chaste, matured,

You grew up with me, were a boy with me or a girl with me,

I ate with you and slept with you, your body has become not yours only nor left my body mine only,

You give me the pleasure of your eyes, face, flesh, as we pass, you take of my beard, breast, hands, in return,

I am not to speak to you, I am to think of you when I sit alone or wake at night alone,

I am to wait, I do not doubt I am to meet you again,

I am to see to it that I do not lose you.

Walt Whitman (1819-1892)

Deixe o seu comentário

Filed under Uncategorized

Impressões sonoras (23)


Deixe o seu comentário

Filed under Uncategorized

Argo (2012)

Tony Mendez: “What’s your middle name? What’s your middle name? What’s your middle name?”
Joe Stafford: “Leon”
Tony Mendez: “Shoot him. He’s an American spy… Look, they’re going to try to break you, OK, by trying to get you agitated. You have to know your resume back to front.”
Henry Schatz: “You really believe your little story’s going to make a difference when there’s a gun to our heads?”
Tony Mendez: “I think my story’s the only thing between you and a gun to your head.”

Deixe o seu comentário

Filed under Uncategorized